Sem abrigo

No outro dia passei pelo Marquês de Pombal, já era de noite. Estava frio e a chover. Debaixo de vários cobertores estava uma pessoa deitada. Um sem abrigo. Dois dias depois passei novamente pelo mesmo local, mas da parte da manhã. Os mesmos cobertores meticulosamente dobrados. Continuo sem ver a cara deste sem abrigo e continuo impressionada com as circunstâncias que levam tantas pessoas a ter que viver na rua. 

Foto de Alexandra Sousa

A praga das trotinetes

Serei só eu que estou já farta de tanta trotinete? Não digo que a ideia não seja boa, não senhor, do ponto de vista da protecção ambiental. No entanto, hoje em dia, a qualquer hora e a qualquer lugar em Lisboa, há trotinetes espalhadas por todo o lado. Umas em pé, outras deixadas caídas no chão. Quem anda na rua, arrisca-se a ser atropelado por uma ou arrisca-se a tropeçar noutra. E também serei só eu a achar que esta malta anda ali sem protecção e sem regras nenhumas? 

Fotos de Alexandra Sousa